sexo do bebê - menino ou menina?

Se é menino ou menina, só vou descobrir o sexo do bebê quando ele nascer.

No auge de 19 semanas de gestação, com aquela barriga que não dá mais para esconder, as pessoas sempre se aproximam com duas perguntas, curiosamente nesta ordem:

“De quanto tempo você está grávida?”

“E já sabe se é menino ou menina?”

A cara de espanto surge quando eu digo que, mais uma vez, só saberei o sexo na hora do nascimento.

Fiz isso na última gestação por motivos de autoproteção, mas a experiência foi tão bacana, que resolvemos repetir a dose.

E, sim, as pessoas estranham, e os mais chegados reclamam: “Mas como eu vou comprar um presente se não sei o sexo do bebê?”

De fato, fazer um enxoval unissex dá trabalho (vou falar sobre isso em breve), mas é possível. Principalmente se você não encanar com essa ditadura de coisas para menino e para menina. Sinceramente, nao acredito que vestir um menino de roupa rosa de babado ou a menina de azul com carrinhos vai influenciar na opção sexual deles no futuro. A coisa é muita mais complexa, como expliquei neste post aqui: “Quando a brincadeira de menino e de menina vira preocupação”.

Porque para mim, estou gestando um bebê. Não me importa se é menino ou menina. E não saber o sexo me faz levantar menos expectativas para a criança. Pois é infalível: a gente imagina mil coisas para o filho da gente. Se vai ser calmo, agitado, bom de garfo, dorminhoco, obediente, teimoso… Não saber o sexo fez com que a ansiedade sobre o temperamento bebê baixasse bastante. Eu apenas espero…

Quanto ao nome, precisamos escolher duas opções. Curiosamente, nenhuma ainda foi escolhida. Aliás, geralmente fazemos isso nas últimas semanas.

Ninguém aqui medita ou faz ioga. Pelo contrário. Somos aquela família que fala alto, briga e bate a porta, não dorme direito 3 dias antes de um evento importante. Somos todos assim. Mas o sexo do bebê será desvendado só em dezembro. E estamos tranquilos.

Num mundo em que existem lojas de coisas para bebê em cada esquina, aliás, tem um monte de lojinhas na sua casa, aqui na telinha, não vejo necessidade de comprar um monte de coisas de menino ou menina. Depois a gente compra os babados e ursinhas de lacinho, ou os bonés e cachorrinhos de skate.

A verdade é que nas duas primeiras vezes em que fui mãe, morri de medo de ter feito o enxoval de um sexo, e chegar na hora a criança ser de outro. Quem nunca soube da prima da amiga da tia da vizinha da sua mãe que passou por isso?

A ansiedade, o medo de dar errado é tanto, que eu só acredito vendo!

Galera me chama de corajosa, paciente… Mas tô achando que sou bem o contrário.