Segredos para reformar e usar o mesmo carrinho de bebê

A gente sabe que as coisas hoje em dia parecem estar mais descartáveis, seja um eletrodoméstico, uma roupa, seja até mesmo um carro. Antigamente, esses itens duravam uma vida toda. Hoje, com poucos anos de uso, já ficam bem desgastados. O mesmo acontece com o carrinho de passeio dos bebês. Manchas, rasgos, barulhos… É difícil manter um carrinho para ser usado com mais de um filho.

A maneira que consegui fazer isso foi tendo em mente que eu precisa cuidar do carrinho para ser usado para o próximo filho. Se tivesse usado sem esse cuidado, com certeza, teria comprado um carrinho p cada filho. Com cuidado, apenas fazendo uma reforma no carrinho de bebê, dá para utilizar o item com o próximo filho.

Inicialmente, digo que limpá-lo com a frequência com que limpamos nossos carros é primordial. Tirar o pó, limpar rodinhas, aspirar estofado, lavar a capa, pelo menos uma vez a cada 2 meses. As partes pretas do carrinho são limpas com água e sabão e revividas com silicone, aquele que a gente usa no interior do carro.

car4As partes em tecido são higienizadas com limpa carpete e secar à sombra. Evito alimentar as crianças no carrinho, mas vez ou outra é inevitável. Sempre surgem manchas, que busco tirar na hora. Já aquele estofado interno, ganha um banho sempre que está sujo. Desta última vez, optei por usar o Comfi-Cush da Clingo, um estofado bem bacana, que se adapta a quase todos os carrinhos. Ele é feito de uma espuma exclusiva, que, além de ser macio para o bebê, ele se adapta à temperatura do corpo. Deu um ar de carrinho novo para a caranga que já tem 6 anos de uso!

car1

As rodas do carrinho também devem ser limpas com frequência, principalmente se você vai muito à rua com o carrinho. Pó, areia, pedrinhas danificam a engrenagem, por isso, depois de lavar, gosto de passar um oleozinho para nada ficar rangendo ou perder a meleabilidade.

Claro que com tanto uso, surgiram rasgos. Daí uma sapataria de confiança fez um trabalho de cerzir o rasgo com a cor do tecido. Quase não se nota, pois é bem onde penduramos brinquedinhos. Mas se os rasgos forem maiores, um caso mais grave de reforma, existe a opção de se refazer a capa do carrinho. Caso o fabricante do seu carrinho não dê a opção de adquirir outra capa (veja com o SAC), aqui neste link você encontra uns modelos bacanas de customização. Dá até para reformar o carrinho de bebê de acordo com o sexo da criança. (O que não era meu caso, pois eu não quis saber o sexo do bebê – leia o post em que eu explico o porquê)

car2

Outra opção de limpeza bem bacana é mandar para lavanderias especializadas. O carrinho vem quase novo, você não tem trabalho e o custo vale o benefício.

Turbinar o carrinho de passeio com itens novos também dá uma renovada. Mosquiteiro, capa de chuva, plataforma para o filho mais velho ir de carona no carrinho e organizadores facilitam bastante a vida de quem tem mais de uma criança.

119313768G1 113258921_1GG

 

 

Agora, se o carrinho estiver desestabilizado, barulhento ou com alguma peça solta, é importante ser levado à assistência técnica. Muitas vezes a troca de uma peça, um ajuste técnico simples pode garantir uns anos de uso. Entretanto, há casos em que reformar o carrinho de bebê não é viável, já que pode colocar em risco a segurança da criança. Gambiarras jamais devem ser feitas. A vida de seu filho vale muito mais que um carrinho. Agora se o possante está em bom estado e precisa só de novos ares, reformar o carrinho de bebê para o próximo filho é uma opção que ajuda o bolso e o planeta.

car3