meu-filho-não-come-o-lanche

O que há de errado que meu filho não come o lanche que mando para a escola?

Até o ano passado, eu não tinha essa preocupação, pois a escola das crianças provia o lanche. Agora que ele cresceu (meu Deus, cadê meu pequeno bebê?) e mudou de escola, temos que preparar o lanche.

Acontece que – quem acompanho o blog há tempos já sabe – meu menino é um tanto quanto seletivo. Eu evito dizer que ele é chato para comer, mas dada minha preocupação e insistência no assunto, o rótulo pegou. Uma nhaca!

Sabendo da limitação do paladar dele, fui logo me antecipando ao problema: antes de as aulas começarem, sentei com ele e, juntos, fizemos uma lista dos alimentos que ele topava levar para a escola. Foi uma excelente oportunidade para falarmos de escolhas saudáveis.

Depois, fomos juntos ao mercado comprar os itens do lanche, e mais uma vez falamos sobre o que é saudável e o que não é, e como é importante ter um lanche nutritivo para se aproveitar melhor o tempo na escola, blablablá whiskas sachê.

Expliquei que é legal ter um carboidrato (pão, biscoito, bolo), uma fruta (que ser oferecida em forma de suco natural), uma proteína (queijo, iogurte) e uma bebida (suco, bebida de soja, leite, chá, água de coco, água).

Tava tudo indo maravilhosamente bem na teoria, até que passou-se uma semana de prática, e o dito do lanche acabava voltando. Quando tomava o suco, voltava a comida, quando comia, voltava o suco. Papo vai, papo vem, ele me disse que tinha vergonha de comer na escola. Então perguntei o que os outros amiguinhos levavam, e, no fim, as opções não eram muito diferente das que eu mandava. Acho que era só uma desculpa.

Até que um dia fiz o teste e desci o nível: mandei achocolatado, biscoito e cereal daqueles de chocolate. Nem preciso falar que ele comeu tudo, preciso?

Daí eu pensei: deixo meu filho passar fome até ele aprender a comer, ou mando o que ele gosta para que a fome não atrapalhe seu rendimento escolar?

Quase garrei um crânio e me pus a declamar versos shakespearianos já que meu filho não come o lanche que eu mando.

Continuei na saga: cozinhamos juntos grissinis e pão de mandioca (comeu um dia, nos outros voltou), mandei suco natural de casa mais de uma vez (voltaram todas), coloco um iogurte (e volta).

E mesmo na quarta, que é o dia de fruta na escola, ele acaba sem comer.

Mandei bilhetinho de amor, e meu filho não come o lanche.

Decorei as comidinhas, mas meu filho não come o lanche.

Por mais que eu me esforce, a porra do lanche volta.

Daí você manda variar o cardápio. E eu te digo: ele não come pão com nada dentro, só seco, nada de frios, raramente aceita um queijo. Frutas só maçã e pera sem casca, enjoou da banana e da melancia. De resto, nada vai. Ele aceita bolachinhas integrais, mas enjoa logo. Sempre que mando suco que eu fiz, ele não toma, mas os de caixinha são aceitos. Cenourinhas baby, sticks de pepino e frutas da estação estão bem longe da minha realidade merendística.

A mãe já não sabe o que fazer e precisa de sua ajuda. Se você acha que ela deve continuar tentando, e deixar o menino sentir fome até ele aprender que aquilo é o lanche, ligue para 0800 66 66. Se você acha que ela deve mandar o que ele come e ponto, dane-se se é saudável ou não, ligue 0800 66 um tapa ma oreia. O final desta história, você decide!

Enquanto isso, vou refletindo sobre as lancheiras de antigamente, sem essa vasta opção de coisas industrializadas – era suco e um lanche. E as mães não botavam muita pilha nesse lance de alimentação. Não tinha essa onda de rivalidade pela lancheira mais saudável, pelo filho que comia melhor. Mas também os índices de obesidade, colesterol alto e diabetes infantil eram pífios.

E já não sei mais se o título do post é “meu filho não come o lanche” ou “a mãe que não sabe preparar a lancheira” ou “a sociedade influencia a alimentação das crianças” ou “as redes sociais me deixam mal pela lancheira do meu filho”.

Eu juro que li esses posts aqui:

Como mandar fruta na lancheira

O que colocar na lancheira

Lancheira saudável é o ca#%&o!

Lanche saudável: as melhores escolhas para seu filho levar para a escola

Lancheira saudável: menu do recreio