25 atividades diárias que irritam qualquer mãe

Fazemos essas coisas todos os dias, mas elas irritam qualquer mãe (ou pai)

Ser mãe é algo maravilhoso, mas que se intercala com momentos de absoluto caos. Todos os dias, muitas vezes por dias, precisamos fazer coisas que irritam qualquer mãe, principalmente se as crianças não colaboram. São pequenas coisas, meio bobas, mas que, quando juntas, fazem a gente ficar à beira de um ataque de nervos.
E não é exclusividade das mães não: os pais sofrem tanto quanto nós. E eu digo sempre que tenho uma meta: manter a paciência um nível acima da paciência do meu marido. É um jeito de tentar manter a calma e de também me superar dia após dia (a maioria dos dias eu não consigo, mas abafa o caso, até porque eu fico muito mais tempo com as crianças do que ele).

Veja se você também sofre para fazer essas coisas triviais:

25 atividades diárias que irritam qualquer mãe

1. Acordar: Crianças acordam sempre cheias de energia, saltitantes, caso elas tenham acordado sozinhas, como nos fins de semana (justamente quando podemos dormir até mais tarde). Durante a semana, eles ficar adormecidos, manhosos, surdos, sem apetite. Já começamos o dia contando até 10 para não perder a paciência.

2.Trocar fralda: Pode ser uma fraldinha de xixi comum ou aquela que tem cocô até a nuca. Eu acho importante a gente trocar a fralda, não só pela questão da higiene, mas pelo toque, a troca de olhares. Mas, convenhamos, tem dias em que a criança não para, foge da fralda, mexe em tudo, derruba a fralda suja e berta no chão… Haja saco!

3. Escovar os dentes: Eu não consigo entender porque eles odeiam tanto limpar os dentes. Será que é porque seguramos a cabeça deles, porque vez ou outra a gente bate na gengiva ou porque a gente briga quando eles engolem a pasta?

4. Colocar roupa: Por volta dos 2 anos, a criança quer correr pelada pela casa. Depois, ela quer escolher as roupas, daí passa a deixar tudo jogado e nunca mais guarda na gaveta. Fim. E quando a gente ajuda, eles querem fazer sozinhos; mas quando eles fazem sozinhos, brigam e berram que não conseguem.

5.Calçar sapato: Tem que ter habilidade para colocar sapato em criança pequena, pois, em vez de deixarem o pé firme, amolecem ou contraem os dedos do pé. O pé não entra, a meia embola, a gente tá com pressa, e quando, enfim, o sapato tá no pé, começa o show que não era aquele, que tá apertado, que mimimi… 

6. Fazê-los esperar: Diga a uma criança que ela vai ter que esperar um pouco, seja numa fila, seja para comer o lanche, seja para pegar o outro brinquedo, seja para qualquer coisa. Caos define. Crianças odeiam esperar simplesmente porque elas não tem noção de tempo. Para elas, 5 segundos e 14 horas é a mesma coisa. Numa viagem então… É entrar no carro que começa o “falta muito?”.

7. Prender na cadeirinha do carro: Falando em carro, prender criança na cadeirinha é algo que você pode desejar a quem você odeia muito. Eles berram, como se você estivesse arrancando um braço. Cinco minutos depois, já tentam escapar. Pior mesmo só instalar a cadeirinha com outra pessoa dando palpite.

8. Sair de casa: Sair de casa por si só é uma das coisas que mais irritam qualquer mãe. Eles sujam a roupa da festa, querem levar os brinquedos mais estrambólicos, querem ir ao banheiro, querem água. E pode apostar: quanto mais pressa, mais obstáculos eles criam.

9. Dar comida: Alimentar as crianças é algo prazeroso e extremamente irritante ao mesmo tempo. Você faz avião, faz palhaçada, vira de ponta-cabeça, você se sente um daqueles maluquinhos do semáforo, e a criança nem se abala em abrir a boca. Para ajudar, ainda bate a mão na colher e derruba por tudo. E não fique muito feliz quando ela passar a comer sozinha, porque as migalhas vão dominar sua cozinha.

10. Limpar o carrinho/cadeirão: se você acha que o chão ao redor de onde a criança come fica sujo é porque nunca averiguou os cantinhos do cadeirão ou do carrinho. Sinceramente, dá para alimentar 7 famílias com os restos de coisas.

11. Cortar a comida: Está aí outra atividade que enche o saco. Até quando devemos cortar a comida das crianças? Eu até fiz uma tabela com as atividades que as crianças podem fazer na cozinha de acordo com a idade, mas acho que por volta dos 22 anos nossos filhos acabam não pedindo mais a gente cortam o bife. Confere?

12. Lavar mamadeira: Parece simples como limpar um copo, mas a esponja não vai até o fundo. A escova é boa, mas não limpa bem o bico – volta para a esponja. Depois bate a dúvida se a gente precisa ou não esterilizar. E aqueles copos com canudos? É surreal limpar aquilo.Coisas que mães detestam

13. Vem me limpar: Não há problema nenhum em limpar uma criança no banheiro, desde que ela não peça isso enquanto você come ou está numa ligação telefônica. Acredite: seus filhos nunca vão te chamar para limpar se você estiver esperando por isso. E a coisa pode piorar se você tiver meninos, quando eles começarem a fazer xixi sozinhos você vai pensar duas vezes se não deveria forrar o chão do banheiro com jornal.

14. Dar remédio: Aquele bebezico, que abre a boquinha para qualquer coisa que toque seus lábios, vai resolver travar a mandíbula quando você aparecer com uma seringa de medicação. Mais grandinhos vão cuspir. Se for um remedinho para baixar a febre por umas 4 vezes, seu filho até que vai aceitar aquele caldinho de tuti-fruti. Mas se precisar tomar um antibiótico, no segundo dia ele vai te deixar a ponto de explodir.

15. Cortar unhas: Só digo uma coisa – se você conseguir cortar as unhas de uma criança, pode ter certeza de que vai conseguir desarmar uma bomba numa monta-russa em movimento. Cortar unhas de uma criança que simplesmente não para de se mexer é outra coisa que as mães detestam.

16. Colocar no banho: Visualize você tentando colocar um gato dentro do box. Levar uma criança para o banho é mais ou menos assim. Lavar a cabeça então, é o caso de você já esperar a visita do conselho tutelar, pensando se tratar de algum tipo de tortura.

17. Tirar do banho: Passado os momentos do chilique inicial, a criança desfruta o banho. Lava o banheiro se estiver na banheirinha, entope o ralo se estiver no chuveiro. Então é hora de sair e… CAOS! É como retirar militantes da avenida Paulista.

18. Ajudar com a lição de casa: Eu fui professora e psicopedagoga e ainda era o tipo de aluna que adorava fazer lição de casa (já era louca desde menina). Lição de casa, para mim, é algo muito legal. Era. Eu tive filhos. E eles fazem manha, dizem que não conseguem, que estão com sono, fazem garranchos. A vontade é sumir, e voltar quando a criança tiver uns 18 anos. Mas sou eu mesma que vou ter que arcar com as consequências. Quer dizer… 

19. Lavar roupa: Uma atividade que é igualim igualim o amor de mãe… Nunca acaba!

20. Assoar nariz: Ser mãe é lidar com ranhos e catotas que não são seus. Seja sugando na mangueirinha, seja ensinar a assoar. Eles gritam, berram, como se você tivesse apertando o nariz com uma chave inglesa.

21. Controlar o uso de eletrônicos: Essa é fogo, porque a gente mesmo gosta de ficar nas internê, mas tem outras coisas para fazer. E vem cá, não é maravilhoso o tempo em que eles ficam nas telas? Aquele silêncio, você dando conta de tudo… Mas tem que por limite e isso é um saco. Inventei até um joguinho para limitar o uso de eletrônicos e ó, super dá certo!

22. Pentear cabelo: Mais uma daquelas coisas legais que a gente faz, mas que a sensação é de estar arrancando o couro cabeludo da criança com faquinha do rocambole.

23. Arrumar brinquedos: Nos livros de maternidade, que a gente lê quando está grávida, deveria ter o capítulo “organizando brinquedos”, porque, olha, 20% da maternidade é isso aí. E mais 40% é ameaçar jogar tudo no lixo. O jeito é conferir essa tabela para as crianças ajudarem em casa que é sucesso.

24. Colocar para dormir: Finalmente chegou a hora em que você terá um pouco de paz, e não vai mais ser interrompida – porque a gente nunca mais consegue terminar nada depois que vira mãe. Mas bate o energético com café e pó de guaraná nas crianças. Bate um rebite, um ecstasy. Os bichinhos ficam muito doidos, cheio de gás. Mas de repente eles desligam, e quando você acha que venceu na vida e vai descansar, aparece um filho pedindo para dormir com você. E não poder dormir direito é, de longe, uma das coisas que mais irritam qualquer mãe.