supermom

Estou eu curtindo meu recalque de dia dos pais, vendo aquelas mensagens de pais heróis, de exemplos de bravura e comprometimento, o progenitor varão. nas propagandas de colônias, relógios e cuecas

Todo mundo prestando suas homenagens aos melhores pais do mundo.

Mas vai lá perguntar para as mães o que é que elas acham disso tudo. No máximo, de herói, só os pais delas.

No fundo, no fundo, elas vão dizer que o mérito todo da criação dos filhos é da mulher, que é ela quem engorda, enjoa, pare, amamenta, dá colo e faz comida.

Vão reclamar que os pais não ajudam em nada, que só sabem trabalhar e botar fogo nas crianças, que não ajudam em casa, que não trocam a fralda.

Eu também me queixo, não da falta de ajuda, mas da falta de proatividade. Pois é dessa caraminhola maternal que saem todas as atividades e afazeres relacionados à família, além dos posts malucos que alimentam o blog.

É o pai quem dá banho, mas quem diz a hora certa é a mãe.

É o pai quem troca a roupa, mas quem escolheu as peças foi a mãe ( e ainda separou um casaco porque vai esfriar).

É o pai quem dá a comida, mas quem escolheu e balanceou os nutrientes foi a mãe.

É o pai quem paga o mercado, mas quem fez a lista foi a mãe.

É o pai quem pendura as roupas no varal, mas quem separou, lavou e tirou as manchas foi a mãe.

É assim: na indústria da maternidade, o pai é o peão do chão de fábrica, e a mãe fica no escritório de logística, aquele com janela de vidro que dá para ver a fábrica toda lá de cima.

Conclui-se, então, que a maior reclamação não é nem a falta de auxílio. O buraco fica mais perto do fato de que os pais são meros executores de tarefas.

E lá vem mais bomba: eles fazem tudo errado!

Tudo o que os pais fazem, as mães tem que fazer de novo pra ficar, assim, do nosso jeitinho, certinho, como as crianças estão acostumadas.

PARA TUDO. CORRRRRTA PRA MIM!

Na indústria da maternidade, se há problema na linha de produção, o problema é do gestor.

Tá lá nos autos do senhor Houaiss, que pai é o causador, e a mãe é a origem, a fonte.

Se o pai não tem atitude, a origem do problema é a mãe, que não o dá espaço para poder atuar.

Se o pai é o causador de tantos erros, a fonte das falhas é a mãe, que não o permitiu aprender, como ela aprendeu errando. E como as mães erram! – e não contam para os pais para darem a impressão de que já saíram de fábrica prontas para serem mães.

E daí as mães eu reclamam da falta de tempo, do excesso de tarefas, da sobrecarga, do estresse…

Pobres pais! Que não podem mais exercer seu papel de herói! A mãe agora quer ser a Mulher-Maravilha, a Garota-Elástica, a Moça-Pedra!

Coloquemos nossas capas de lado, deixemos os superpoderes para eles. Fiquemos apenas com aquilo que sabemos fazer melhor: encher os lares de amor!

 

Obs. 1: Tenho exercitado bastante o “perdoar” nas atividades do pai, para dar mais espaço a ele e garantir a minha sobrevivência, conforme o post com as 10 dicas de sobrevivência para a mãe e dona de casa.

Obs. 2: Gonzagão, mestre, sabia que nesse negócio de criar filho, homem e mulher têm pouca diferença!

Que diferença da mulher o homem tem?
Espera aí que eu vou dizer, meu bem
É que o homem tem cabelo no peito
Tem o queixo cabeludo
E a mulher não tem
No paraíso um dia de manhã
Adão comeu maçã, Eva também comeu
Então ficou, Adão sem nada, Eva sem nada
Se Adão deu mancada, Eva também deu
Mulher tem duas pernas, tem dois braços, duas coxas
Um nariz e uma boca e tem muita inteligência
O bicho homem também tem do mesmo jeito
Se for reparar direito tem pouquinha diferença.