childtv

O assunto hoje é publicidade infantil.

Tem gente que discorda, que esse tipo de propaganda deveria ser sumariamente abolida e substituída por algo voltado aos pais. Menos extremistas já alegam que um acordo ou regulamentação sustentada pela ética já basta.

O caso mais antigo de abuso nesta modalidade que me recordo foi esse aqui:

Você se lembra disso?

Na minha opinião, banir a publicidade infantil não vai ajudar muito a diminuir o consumismo das crianças. Acho que não é a TV que infuencia, mas a educação que se recebe.

Se a criança ganha algo que ela viu na TV, fica o reforço positivo gravado em sua mente. Culpa da TV? Não. A TV não deu o produto a ela.

Se abolirmos a publicidade infantil, campanhas como esta a seguir jamais teriam sido criadas e premiadas.

Tomou?

 

Por que propaganda fofinha de produto essencial como leite pode, mas propaganda de fast-food com personagem da moda não vale?

É para se pensar!

Concordo que as crianças não conseguem diferenciar o desenho da propaganda. Para elas é tudo uma coisa só. Mas não acredito que banir a publicidade infantil seja a melhor saída, ainda que considere impossível explicar a uma criança de 3 anos porque não se pode ter tudo o que é anunciado na TV.

Na dúvida, continuo com a opinião de sempre: Educação é o que se aprende em casa.

Pois se a bala, o biscoito, o brinquedo entraram em casa, não foi porque a publicidade realizou um teletransporte – foi porque um adulto responsável, capaz de discernir entre o normal e o abusivo, fez uma escolha.