boys-fighting-over-toy-truck-280x280As mães de crianças por volta dos 2, 3 anos vão me entender. Levar o filho para brincar com um amiguinho é mico na certa. O filho pega todos os brinquedos que consegue (sendo dele ou não), agarra, não solta mais, diz “é meu!”, emburra, empaca. O amiguinho chora, faz birra, bate o pé no chão, tem chilique. As mães se entreolham buscando o primeiro buraco para enfiar a cara dentro. “O brinquedo é do fulano”, “deixa o fulano brincar agora”, “não faz assim que é feio”. As mães tentam, tentam, mas rola uma pequena briga pela delimitação do espaço, uma demonstração de força, empurra-empurra, até que um chora, o outro faz cara de susto, larga os brinquedos, e ninguém mais entende nada.

É assim com o filho. Já tentei conversar, explicar, dar bronca… nada resolveu. É da idade. A @thaisscavassa até já falou sobre isso aqui. E a revista Crescer já publicou isso aqui.

Dizem que o melhor é não haver brinquedos para não criar essa disputa, mas, honestamente, eu não consigo sair de casa sem um carrinho, ou o que for, para distração em caso de emergência. A outra mãe faz o mesmo, e pronto! O sino soa, e se inicia o primeiro round!

Nesta semana, minha prima trouxe o pequeno dela para brincar com o meu. Eles têm 3 meses de diferença e se dão superbem. Mas, como toda criança, eles se estranham de vez em quando por causa de um brinquedo. E foi assim: a pista de HotWheels montada, um de cada vez colocava o carrinho. Quanta civilidade! Até que um dos dois resolveu romper a ordem, e foi um puxa daqui, puxa dali, é a vez de um, é a vez de outro, e eu, num momento de consagração da minha persona Super Nanny, soltei “ou vocês dois se entendem, ou eu vou guardar a pista, e ninguém mais brinca!”.

Mágico! Só faltou falar abracadabra e uma pombinha branca voar!

Os dois se entenderam na mesma hora. Momentos depois, estavam eles no maior #mimimi disputando o lugar no cavalo. “Ou vocês decidem quem vai brincar agora, ou eu guardo o cavalinho!”

Chi-clim! Ordem e paz! E nem precisou de cantinho do pensamento ou varinha de Hogwarts.

Testem com os seus birrentinhos e me contem… dá certo só comigo, ou eu descobri a fórmula secreta do saber dividir e esperar sua vez? (ã-ham, senta lá, Cláudia!)