Uma virada em minha vida: quando a gente vira mãe?

virar mãe

Depois de gestar a gente vira mãe, se revira mãe, se contorce mãe.

Mulheres nascem, crescem, se desenvolvem, mestruam, ganham curvas, têm TPM, fazem gracejos, usam e abusam da feminilidade. E daí, um dia, essa mulher vira mãe. Sim, porque mãe a gente “vira”. Ninguém faz curso para ser mãe – embora existam coisas do tipo e muita literatura auto-ajuda (uma antítese)  a respeito. Vira-se mãe, no sentido mais pífio e literal da palavra: virar, como mudar de direção, de posição. Você ia ser uma profissional de destaque, ia fazer cursos no exterior, ia ter um corpo de modelo, ia ser a pessoa mais zen do mundo. Mas você vira e pronto, é mãe.

E ninguém, nem mesmo outras mães, te falaram que o processo de virar mãe é brusco e violento, como uma bofetada no meio da cara sem saber de onde veio. Você está lá, toda tranquila, sonhando seus sonhos de menina, e pum! Acorda na base da porrada e cai de cara no chão. Fica com olheiras, acabada. A maternidade é tão linda!

E daí você vira mãe, você se revira mãe, se contorce mãe. Não basta apenas virar, você tem que dar uma estirada, ir além do limite da sua envergadura. E assim você desenvolve o dom da paciência, do colo de mãe, da intuição de mãe. Virar mãe é quase que realizar uma abdicação monástica em prol do bem-estar da família, com direito a autoflagelo e platéia te apedrejando.

E os homens nos chamam de louca, de descontroladas. E num tom sacástico de romance, eles retribuem nosso suor com um “mas hoje você está virada, hein, amor?”. Oras, estou virada desde que virei! Os homens não viram pai, eles se tornam, se transformam (como lindas borboletas vagarosamente metamorfoseando). Mas a gente não, a gente vira, como Gregor Samsa acorda inseto.

Obviamente, por mais que você se desdobre para fazer o melhor, sua mãe, sua sogra, sua vizinha, a filha da tia da cunhada, a comadre da prima da sua amiga, sim, elas, que também são mulheres, vão comentar que não é assim que se faz, que no tempo delas era diferente, que o delas é bem melhor. 

Mas para quê ajudar a pobre figura que vira mãe. Vamos apontar todos os seus defeitos, dizer onde ela errou, na base da didática depreciativa.

E logo eu, que só queria dar uma virada em minha vida… Virei, e agora não tem mais volta.

 

Check Also

25 atividades diárias que irritam qualquer mãe

24 atividades diárias que irritam qualquer mãe

Fazemos essas coisas todos os dias, mas elas irritam qualquer mãe (ou pai) Ser mãe …

20 comments

  1. Nossa, kafkafiana sua análise.

    Se eu tenho medo de casar, imagine agora de ser mãe. risos

  2. Eu morro de vontade de ser mãe. Mas, confesso que não estou preparada ainda. Como a Eli aí de cima, acho que ainda tenho medo de casar… Rs. Beijos

  3. Cara to com muito medo, sera que deveria ter lido este post? Ainda bem que esse dia já passou, mi, nem me lembre que dia foi esse hein…..rsrsrrss
    É pode acreditar isso tudo ai é verdade, claro que vivido de um modo diferente por cada lado da família, mais mesmo assim continua certo…. Agora vamos falar outra verdade, para que essas moças que escreveram aqui não fiquem assim tão tralmatizadas….
    Tudo isso ai foi programado, seguiram-se muitos passos calculados, até o nascimento do baby se passaram 8 anos de casamento, todos muito bem aproveitados pelas partes, e agora q tudo mudou?
    Diiirce, voce precisa explicar direito isso tudo….
    Bjocas….

    • Tô tão feliz que o marido comentou!!!

      Tá vendo, meninas, casar nem é tão traumatizante!
      De vez em quando os maridos ficam bonzinhos e até comentam no seu blog…kkkkk

      Mas fique tranquilo que, num dia de sol, bom humor e alegria, vou escrever coisas boas sobre a maternidade e o casamento.

      Jokas da esposa Mi, D. Diiirce

  4. Tô num período difícil e me li nesta sentença: "Virar mãe é quase que realizar uma abdicação monástica em prol do bem-estar da família, com direito a autoflagelo e platéia te apedrejando.

    É fato que o amor que aparece quando a gente "vira", supera tudo e nos dá super força, super poderes, mas cadê o glamour do comercial de margarina, né?! rs

    Adorei o post, me senti compreendida, afinal, Mãe também é gente e tem direito de dar xilique vez em quando, certo?! 😉

    Beijos

    • Com certeza! A gente fica sem tempo p a gente, parece q deixamoos nossas vidas de lado. Um pitizinho de vez em quando dá uma aliviada, né?

      Adorei a visita… venha mais vezes! De vez em quando estou com o humor mais apurado, e escrevo sobre as delícias de ser mãe tb! hehehe

      Jokas da Mi, a D. Diiirce

  5. Miiii, opa Diiiiirce… ameeeeeei o blog. Menina é mais legal do que conversar com vc pessoalmente kkkkkkkkkkkkkkkk! (brincadeirinha).
    Tô lendo tudinho e adorei. Parabéns!
    Olha, pode colocar mais dicas de receitinhas práticas, quem sabe também de comidinhas para mamães e bebês.
    Como vc mesma me disse uma vez, a pior coisa do casamento é pensar o que fazer de janta!
    Beijo!!!

    • Tati, sabe q às vezes eu mesma acho q escrevo beeeeeeem melhor do que falo? Sou meio fechadona, tal. Mas na hora de escrever, é uma belezinha!
      Aliás, preciso colocar aqui no blog minha opinião sobre o que fazer na janta, hehehe. Olha eu dando piti de novo!

      E saiba que vc foi uma das pessoas que me incentivou a fazer um blog, viu?

      Jokas da Diiiirce

  6. Dindaaaa, vim aqui em busca de palavras de conforto, pra acalmar um pouco meu coraçãozinho que foi pego de surpresa e olha oq encontro!!! hahahaha…..
    Mas acho q vc tem razão memso, viramos mãe assim, de um dia pro outro…Vc dorme e pluft, acorda mãe!!!
    Já estou me preparando pra tudoooo q vou passar, pra todassss as mudanças, mas hj estou feliz…Bem feliz!!!
    Se prepara q vc vai ter q dar mtoossss comselhos!!!! rs
    QQr coisa eu grito!!!

    Bjossss da Re!!!

  7. Julio Aline Manu Martinez

    Olá! Primeiro vou te dizer: ótimo post! Segundo vou dar minha opinião: é isso mesmo que vc falou! Não nascemos mães, romanceamos a maternidade,, fato. Eu li todo o texto reconhecendo a mim mesma. Eu estudava para ser uma grande coisa na vida kkk mas quis meu coração que eu me lançasse numa carreira onde curso algum iria me preparar, ser mãe e esposa. Errar e acertar mil vezes por dia, sentir culpa e prazer, se cobrar e se permitir…enfim todo esse caos ao mesmo tempo.

  8. Amei o texto. É bem isso mesmo. Mas a gente nem “percebe” a virada, é doloroso, mas é lindo. Só quem é mãe sabe a dor e a delícia de ser mãe.

  9. Muito boa as publicações… um ensinamento sem tamanho 🙂

  10. NOSSA MELHOR DEFINIÇÃO DE COMO VIRAR MÃE,QUE JÁ LÍ !!!!

  11. ‘Virei’ mãe há 5 meses.. E vou te dizer, não é mole não!!! Já sabia que não seria fácil, mas também não imaginava que seria tão dificil. Dai aquela frase que cai como uma luva: ” ser mãe é sofrer no Paraíso. ” Mas é um amor sem fim, se pudesse faria tudo de novo =)

  12. Tudo verdade!

Deixe uma resposta