Você também é slashies – e nem sabia!

Embed from Getty Images

 

Nasce uma mãe, nasce uma slashie. 

Publipost

Até outro dia eu nem sabia o que era fazer parte do grupo dos slashies. E acredito que a maioria dos meus leitores vai acabar conhecendo o termo agora. O negócio começou lá nos anos 80, quando os adultos de hoje eram apenas bebês, uma época em que esse terreno fértil da internet era tudo mato. Nessa época, cada pessoa escolhia sua profissão no fim da adolescência e a levava nos ombros até o fim da vida. A rede social eram as ruas e os vídeos engraçados virais eram no máximo aqueles que a gente fazia com as primeiras câmeras de uso pessoal, nas festinhas de casa, quando sempre rolava uma cassetada num aniversário de criança.

Essas crianças fizeram aniversário. Muitos. Hoje acumulam experiências e, muitas vezes, profissões. Eu por exemplo: já fui professora, revisora, tradutora, coordenadora pedagógica, psicopedagoga, dona de casa, blogueira, redatora, webwriter e agora retomei a primeira profissão – professora. Engana-se quem pensa que fui abandonando tudo: a cada nova atividade, ia carregando mais uma comigo. Atualmente posso dizer que sou dona de casa, blogueira (que os xóvens chamam de influenciador digital) e professora. E isso é ser slashie.

Slash, em inglês, é esse símbolo aqui: \

Agora me diz, que mãe não é slashie?

Cozinheira\Faxineira\Babá\Motorista\Passadeira\Médica\Palhaça\Secretária\Tradutora\Juíza\Professora\Administradora\Contadora de histórias\Contadora\Psicóloga\Socorrista

Embed from Getty Images

Isso sem contar a vida profissional que temos. E ainda quantas de nós não passou a ter mais de uma jornada de trabalho para poder dar conta ou poder ficar mais tempo com os filhos sem deixar de fazer um dinheiro em casa?

Você já deve ter visto muitas coisas a respeito na internet, muitos vídeos engraçados – aliás faz tempo que eu não atuo como diretora\roteirista\atriz\produtora\editora lá no meu canal do YouTube-, mas nunca se deu conta de que esse acumulo de funções poderia ter um nome bonito: slashies.

E em tempos em que a grande maioria da população faz uso de redes sociais, este lance de slashie ganha outro nível: todos nós consumimos conteúdo digital, sejam textos, imagens, sejam vídeos. Mas, ao mesmo tempo em que damos nossos likes, também compartilhamos e produzimos material. Quer dizer: aquelas fotos da festinha da escola, aqueles textos de desabafo, aqueles vídeos engraçados das crianças deixam de ser uma recordação pessoal e se tornam conteúdo digital pronto para ser compartilhado e despretensiosamente viralizado.

Embed from Getty Images 

Já que todo usuário de rede social é um potencial criador de conteúdo, o TopBuzz é uma plataforma que ajuda quem produz conteúdo, não importa se é uma grande agência de notícias ou um aspirante a influenciador. Basta postar seu conteúdo lá, que a rede se atualiza automaticamente, mostrando conteúdos relevantes e organizados por tópicos. Quanto maior o alcance da sua publicação, mais ganhos você tem. Estamos falando de money, bufunfa, reconhecimento, vencimento. Afinal de contas, ninguém paga boletos com like, não é mesmo?

TopBuzz: Premiado como um dos Top Trending apps do Google Play de 2017.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta