Sargento Mãe se apresentando: SENTIDO!

142368A Jo-Jo é minha mestra, e as tiazinhas da SOS Babás também sempre dão boas dicas. Sou formada em psicopedagogia e tenho muito interesse em estudar comportamento infantil. Ainda não cursei Psicologia, porque tenho medo de conhecer a mim mesma, mas um dia, muito em breve, eu encaro este desafio.

Depois da apresentação de meu breve currículo, quero dizer que aqui em casa disciplina é tudo. Desde que o pequeno nasceu, esse negócio de livre demanda não impera. Tracy Hoggs não me açoite, já vou me explicar!

Quando o pequeno nasceu, eu aprendi que ele estava chegando à nossa família e deveria se ajustar à ela, e não o contrário. Claro que nos primeiros meses tudo é adaptação: a gente cede um pouco, e tudo se encaixa. Aos 2 meses, o filho já dormia sozinho em seu berço, às vezes por 6 horas seguidas. Se acordava de madrugada, era para mamar, trocar a fralda e só. Claro que, vez ou outra, o negócio escapava do controle, mas sempre estabelecia uma rotina e um esquema de ações para que ele soubesse o que iria acontecer e quando era hora do quê.

E aqui tudo tem hora: hora de comer, de dormir, de banho, de bolacha… Se vou negar algo, a melhor explicação é “agora não é hora disso”. Tem vezes que ele mesmo fala “agóia num é hóia?”. A rotina e a sequência de ações dão segurança aos pequenos, tanto é que, mesmo sem saber ver horas, quase todos os dias o filhote já vai subindo as escadas por volta das 19:00 avisando que vai tomar banho.

Mas se o mau comportamento dá o ar da graça é cantinho pensamento ou brinquedos no castigo: “Se você continuar fazendo isso, vai ficar sem carrinhos até amanhã”. E fica mesmo. Pode chorar godê (como diz minha mãe), mas não devolvo. Outro dia o pai não sabia o que um cavalo fazia na garagem e foi devolvê-lo ao menino: “Não, o pototó tá de sastido”.

O cantinho do pensamento é o último recurso, pois é torturante para a criança – e para a mãe – deixar uma figura de 2 anos sentadinha no cantinho, pensando na próxima arte. Mas às vezes é a melhor opção. Para sair, só com um pedido de desculpas sincero.

E como ensiná-lo a pedir desculpas? Simples, pedindo. Se estou nervosa e perco o jeito com ele, paro, me acalmo e peço desculpas: “a mamãe tava nervosa, você me desculpa?”. Não tenho vergonha, nem acho que isso tira minha autoridade. É questão de exemplo, de reciprocidade de sentimento.

Mas por que nem sempre isso funciona? Porque filho com fome, sede, sono ou vontade de ir no banheiro fica sem controle, doidão. E por que isso não funciona nas festinhas? Por causa do ambiente desconhecido, da insegurança que as outras crianças provocam, da euforia.

E, cá entre nós, as crianças precisam mesmo pintar o sete de vez em quando. Sair da rotina é o melhor remédio para a monotonia. Deixo a criança aprontar de vez em quando, deixo fazer uma arte. Deixo ela ter história para contar para os meus netinhos.

15 comments

  1. Post perfeito amiga! Compartilho de sua opinião, você é a minha JOJO!!!!!!!

  2. rsrsrsr sou mãe boba mesmo, não sou sargento, não imponho regras e nem horário.
    mas calmaaaa.. /o não joga pedras rsrsrs
    Como faço faculdade, chego tarde, e ele só dorme qdo durmo…
    Mas sabe apesar de não se ter "rotina e nem regras" convencionais, aqui tudo funciona bem legal.
    Ele é super obediente, e sabe quando pode ou não fazer algo.

  3. Sigo horários, não fico dando bolacha fora da hora (exceto quando a gente saí de casa para passear, essas coisas). No mais, sempre vale um olho no olho e ponto final.
    Ontem mesmo, o garotinho queria ficar com a luz acesa na hora de dormir e o marido deixou, fui lá, expliquei q tava na hora de dormir e que tinha que desligar. Nenhum choro.
    São regras básicas de convivência só isso.
    E o Nicolas é muuuuuuuuuuuito educado e lindo!
    Beijos
    Ana Carolina

  4. Adorei.
    Aqui em casa tb sou assim. Hora pra tudo! Isso faz bem para eles.
    Às vezes é difícil, mas temos que manter a firmeza. Desse jeito eles aprendem a ter disciplina e limites. No futuro isso fará toda a diferença.
    Beijo
    Wania

  5. Tô me sentindo um cocô, hahaahhahah…

    Brincadeira. Mas não consigo ser tão firme como vc.

    Te admiro.

    Beijos,
    Fabi http://principezinhos.wordpress.com/

  6. Que bom encontrar alguém assim!!!! Porque todo mundo fala que eu brigo demais com minha filha e deixo ela chorando. Mas aqui em casa não tem espaço para pirraça não!
    Abraço!

  7. Olá! Vi seu comentário no meu post lá no Balzaca e vim conhecer seu cantinho! Adorei, quanto post ótimo! Também sou sargento aqui em casa, o pai é mais molenga… Tem que ter a rotina, tem que sair dela de vez em quando… tudo com equilíbrio né!
    Vou te linkar pra voltar mais vezes!
    bjos

  8. Amei o post e coincidentemente escrevi um parecido há alguns dias atrás,pq por aqui as coisas estão funcionando da mesma forma,ou quase da mesma forma pq gostei da parte de colocar o brinquedo no castigo,ainda não conhecia essa…rsrs…pelo que tenho percebido nesse mundo materno as experiências são quase sempre bem parecidas e aprendo muito cada vez mais…
    Beijos!

  9. Perfeito!!!
    Aqui em casa tbém tem horário e limites pra td, só no final de semana ou em férias que dou uma relaxada! Mas a Manu, com 1 ano e 8 meses, já sabe quase todas as palavrinhas mágicas ("por favor", "com licença", "obrigada" e "desculpa") e sempre as diz nas situações necessárias! Cama compartilhada NUNCA, dorme a noite td desde os 2 meses, açucar é regulado, enfim….. Já me chamaram de sargento tbém, mas só recebo elogios dos pediatras, professores, odontopediatras, enfim… Sei que tô fazendo o melhor pra ela e tenho o maior orgulho da pessoinha que ela tá se tornando!

  10. Mari ontem ainda falei de ti para uma amiga q teve bebê, qual o nome do livro q tem as dicas para o bebê dormir a noite toda mesmo??

  11. Oi Rafa! É o Nana Nenê e tem tbém o Além do Nana Nenê (mas esse último eu não segui mto)! Mas já fala pra sua amiga que não é fácil, que é preciso mta persistência e segurança pra poder implementar uma rotina num bebê, mas que vale a pena! Boa sorte pra sua friend…Bjão

  12. Vou falar para ela sim Mari….imagino q deve ser mto difícil mesmo, não adianta só ler neh….tem q colocar em prática e persistir! Bjão, obrigada e parabéns por ser essa mãe tão dedicada!

  13. Obrigada Rafa! Tô esperando qdo é que vc vai começar a me pedir emprestado os livros de gravidez e maternidade e, quem sabe, alguns conselhos….hehehe

  14. opa foi dada a largada…a qqr momento posso te pedir! Com certeza vou te perguntar mta coisa hehhe bjs

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: