Privacidade na Internet: como vai a sua?

Mães Blogueiras Unidas por uma Internet + Segura

Como a experiência “Mães Blogueiras Unidas por uma Internet + Segura” alertou sobre privacidade na internet

Nós, mães blogayras, nos organizamos para uma experiência sobre nossas pegadas digitais. Cada passo nosso pela internet vai deixando marcas, mas nem sempre estamos cientes disso. E qual o problema? Bem, alguém de má fé pode juntar os caquinhos, montar o quebra-cabeça e ter acesso a algo valiosíssimo hoje em dia: nossa identidade digital e a nossa privacidade na internet.

Imaginem usarem a foto de seu filho sem autorização, saberem de toda sua rotina, usarem seus dados para fazer compras pela internet? Dados, nos dias atuais, têm um valor inestimável. Só quem perdeu um equipamento eletrônico pode entender: o equipamento você compra novamente, com a mesma ou uma configuração melhor. Mas as informações contidas naquele equipamento se perdem. E podem ir parar Deus-sabe-lá-onde.

Bom, a experiência “Mães Blogueiras Unidas por uma Internet + Segura” consistia em investigar a vida digital de uma colega e repassar as informações a ela. Quem nunca vasculhou o perfil de um ex-namorado, de um amigo de infància, de um inimigo, que atire o primeiro tablet! 

Stalkear (vigiar e observar cada passo digital de uma pessoa) um amigo é uma tarefa simples. Não é preciso ser hacker para traçar arvores genealógicas, ter acesso a endereços, documentos, conhecer os gostos e a rotina de uma pessoa, é só acessar os perfis sociais dela pessoa, dar um Google. A coisa fica ainda mais rica quando o sujeito a ser analisado é uma mãe, já que elas são os usuários que mais compartilham informações sobre a família na internet.

Eu consegui coletar alguns dados sobre minha amiga (como endereço, telefone, nomes de familiares, escola dos filhos, dados sobre o marido), e a sensação de invadir a privacidade é tanta que tive a impressão de estar dentro da casa dela abrindo armários e gavetas. Agora imagine o que uma pessoa mal intencionada pode conseguir.

Por isso, sempre me atento aos recursos de segurança de cada rede social que frequento. Tento deixar tudo o mais privado o possível. Faço listas de amigos no Facebook para que eu possa selecionar o que cada grupo de amigos pode ver. Evito postar muita foto das crianças (já leu o post 10 fotos de seu filho que não deveriam estar na internet?) e entrar em detalhes da minha vida pessoal, para não colocar minha privacidade na internet em jogo.

Apesar de minha amiga não ter encontrado muita coisa reveladora a meu respeito, eu ainda acho que estou num Big Brother quando jogo meu nome no Google. São milhares de informações soltas por aí que, unidas, dão margem para o uso indevido de minha identidade digital. Sabendo coisas sobre nós, cybercriminosos podem roubar nossa identidade digital,  roubar senhas, acessar nossos dados, expor isso a público (lembram-se do caso da Carolina Dieckman que até virou lei?).

E mesmo se você tentar não entrar mais na internet, apagar suas contas em redes sociais e tudo mais, seus dados vão estar lá! Basta dar um Google no nome da sua avó, aquela que nunca encostou num mouse, e muito provavelmente algo será encontrado. Imagine sobre nós, que passamos a vida conectados?

Deixar nossas pegadas pelos caminhos digitais faz parte da caminhada. Só precisamos estar cientes de onde deixá-las. Pois apagar nossa trilha é algo quase impossível de se fazer.

Confira aqui quem mais participou da experiência “Mães Blogueiras Unidas por uma Internet + Segura” (em construção)

Check Also

Os 10 melhores posts de 2014

Reveja os posts mais acessados do ano. 2014 foi um ano bastante movimentado aqui no …

3 comments

  1. Oi Milene, muito legal essa iniciativa. Uma pena não terem me convidado para participar. No ano passado, a pedido de um amigo que tinha um blog dos filhos e queria uns toques sobre como escrever melhor, tive uma experiência parecida. Li todo o blog dele, além dos posts nas redes sociais. E o resultado foi um tremendo susto pois em pitacos ali e aqui, ele contava tudo sobre a filha! Como era tudo separado, ele não se dava conta que se alguém com más intenções resolvesse juntar tudo, ele e a família estariam super expostos! beijão

  2. Amiga! Já tinha lido, mas só agora Manu me permitiu comentar!!! Adorei participar, achei a sua ideia genial, e seu post – como sempre – de amar de paixão!!! beijos!

Deixe uma resposta