17 dicas para aproveitar Porto de Galinhas com crianças

porto de galinhas dicas

Nossa viagem para Muro Alto, do ladinho de Porto Galinhas, foi uma experiência incrível. Contei aqui nesse post com toda nossa rotina de viagem por lá.

Hoje venho dividir com vocês algumas dicas para quem vai para Porto de Galinhas com crianças (ou não!). Procurei por bastante informação antes de ir, mas ainda assim fiquei em dúvida com algumas coisas, por exemplo, o que levar, o que fazer, com o que se preocupar.

Então confere aí as 17 dicas para aproveitar o melhor de Porto de Galinhas com filhos, netos, sobrinhos, sejam eles bebês, sejam crianças.

#1 A Maré: eu não fazia ideia de como a maré influencia a vida de uma pessoa. Mentira! Sabia, porque sou de câncer com ascendente em peixes. Mas na prática mesmo, só em Porto de Galinhas entendi a função das tábuas das marés. No começo é tudo meio confuso. Você só precisa descobrir quando é que a maré está baixa. Assim você pode aproveitar muito mais seus passeios nos recifes e nas piscinas naturais.

#2 Quem cedo madruga: aproveita mais Porto de Galinhas. Por conta do sol e do lance das marés, a vida em Ipojuca começa cedo. Tipo 8 horas você já deve estar de roupa de banho, protetor passado e café tomado para aproveitar os passeios. Se você deixar para acordar mais tarde, perde o tempo precioso das marés.

#3 Muro Alto: Como eu contei no outro post, Muro Alto é a melhor praia para quem tem crianças. É água é rasa (mas com umas 10 passadas dá para os adultos se refrescarem e relaxarem) e numa temperatura muito agradável. Dá para passear sobre o recife, sem ter que pagar por uma jangada. Não há tantos ambulantes e fora de temporada é super tranquila.

Porto de Galinhas com crianças
Praia de Muro Alto, tranquila para as crianças

#4 Ambulantes: De todas as praias da região, Porto de Galinhas é a que tem mais volume de ambulantes. Mas é um nível turbo que chega a irritar. Se você puder levar sua cadeira e seu guarda-sol, em vez de se sentar nos pontos de apoio, onde fica a massa de turistas, você garante um pouco mais de sossego. E olha que eu adoro um “shopping ambulante”! Mas em Porto de Galinhas é demais da conta, pelo menos na alta temporada.

#5 Jangada: O tradicional passeio de jangada para as piscinas naturais de Porto de Galinhas até que vale a pena, pelo menos para quem tem criança. Apesar de eu achar um exagero, as crianças podem alimentar os peixes à vontade, o que não acontece nos outros recifes.

#6 Resort ou pousada: Quem tem crianças maiores, que já sabem aguardar num restaurante e aceitam bem a culinária local, a dica é que uma pousada com café da manhã dá conta do recado. Mas se você tem filhos menores, que comem cedo, que tiram sonecas, que precisam de uma sopinha, um arroz com carninha, um leite antes de dormir, daí o resort pode ser uma opção melhor.

#7 Capinha de celular: compre antes ou lá mesmo (paguei R$15,00 na minha) uma capinha que protege o celular da água. Por mais que as fotos embaixo da água não fiquem boas com este tipo de capinha xingling, me deu a maior segurança para sair tirando foto e gravando com a mão molhada ou suja de areia. 

#8 Argila: No passeio pelas falésias na Praia dos Carneiros, nos divertimos horrores com a argila. Tinha branca, verde e vermelha. Adivinha com qual a gente se besuntou? A vermelha, lógico. Só depois me dei conta que ela estava manchando as roupas de banho (maravilhosas que a Dedeka mandou!!!). Com sabonete, água quente do chuveiro e esfrega-esfrega, saiu. Mas o calção do meu marido manchou para sempre. 

Porto de Galinhas com crianças
A argila manchou as roupas de banho

#9 Roupa de proteção: Por falar em roupa de banho, eu nem tinha pensado nisso. A Dedeka mandou aquelas camisetas com proteção UV para as crianças e eu achei bacana. Chegando lá eu percebi que elas essenciais para as crianças e para quem tem pele mais sensível ao sol. Não deixem de levar para as crianças.

#10 Crocs: Muitas vezes andamos sobre os recifes com as crianças. Dependendo do trajeto, da água, eles são escorregadios. Fiquei tensa com meus filhos andando de chinelo. Logo no segundo dia adotamos os Crocs como calçado oficial, mas vi muita gente com aqueles sapatinhos antiderrapantes (de windsurf) que vende na Decathlon. 

#11 Brinquedos: Devido à nossa bagagem, não levamos muitos brinquedos para as crianças. Cada um pode levar apenas algo pequeno. Fiquei super na dúvida se levava um daquelas kits de praia. Até tinha para vender por lá, mas, sinceramente, não fez falta alguma. As crianças brincaram com conchas, palitos de sorvete, caçaram tampinhas de garrafa, copos plásticos, coco, faziam montes… E os brinquedos que eles levaram acabaram ficando no quarto o tempo todo.

#12 Comida: Eu evitei dar comida dos ambulantes para as crianças. Só sorvete (o de cajá… meu Deus!!!) e água de coco. Ou pedíamos porções nos quiosques, ou levava um pacote de biscoito na mala. Com fome, eles batiam o maior pratão nas refeições principais. Com bebê, vale a pena comprar frutinhas e papinhas pela redondeza para garantir.

#13 Tem que provar: A viagem a Porto de Galinhas foi uma experiência sensorial. Meus filhos puderam provar sabores diferentes e descobrir novas paixões, como o bolo de rolo, o sorvete de cajá e o suco de graviola.

#14 Passeios: A CVC Viagens nos indicou os passeios para Praia dos Carneiros, Maragogi e Porto de Galinhas como os melhores para as crianças (já que estávamos hospedados em Muro Alto, no Summerville). Também fizemos o city tour Recife e Olinda, porque eram lugares que eu queria conhecer. Mas pensando nas crianças, trocaria por Serrambi para eles verem os cavalos-marinhos.

Passeio em porto de galinhas
Passeios em que as crianças podem brincar com os peixes

#15 Quando ir: Em outubro, novembro e dezembro chove muito pouco. Evite de abril a agosto que é a época das chuvas.

#16 A Lua: Fique de olho na lua, que influencia diretamente as marés. Escolha viajar no período de Lua Cheia ou Lua Novo, que é quando as maré estão mais baixas.

E finalmente:

#17 Transporte: Se você já sabe onde ficar, os macetes e tal, vale a pena um táxi ou Uber. Caso contrário, se for marinheiro de primeira viagem ou quiser garantir os melhores lugares nos passeios, opte por uma empresa particular. A Luck Receptivo foi quem levou a gente para a maioria dos passeios, e com ela estava sempre tudo agilizado: van fresquinha, mesa reservada, ingressos para os barcos comprados, voltávamos quando queríamos… Nossa função era não ter preocupação.

Se quiser saber mais sobre nossa viagem, assista o vídeo. E não esquece daquele “joinha”!

 

Deixe uma resposta