Nas férias, desligue a TV!

TV não estimula o desenvolvimento infantil

Você pode até não se espantar com os dados, mas eu fiquei meio passada quando soube que 55% das mães com crianças de até 1 ano de idade deixam-nas assistir TV como uma forma de estimular o seu desenvolvimento, só perdendo para o item “carinho e estímulo através de conversas, cantos e leitura”. Ainda mais depois que fiquei sabendo que, no geral, 25% das pessoas acreditam que assistir desenhos e programas de TV estimulam o desenvolvimento das crianças*. Então a coisa complica quando vejo que as crianças brasileiras são as que mais assistem TV, ficando de quatro a cinco horas de olho na telinha por dia.

Eu não sou o tipo de mãe que conseguiu vencer na vida e abdicar daquele canal de TV a cabo dedicado às crianças, nem mesmo àquela avezinha anil sarapintada. Eu faço parte daquela grande maioria de mães e pais que libera TV, tablete e celular. Mas acredito que me distinguo da ordem mais comum, porque limito o uso desses gadgets por alguns minutos diários, ciente de que aquilo nada mais é do que entretenimento, ou melhor, distração. Serve para que eu possa preparar as refeições em paz, num dia em que a cota de brincadeiras se esgotou. No geral, passamos o dia com a TV desligada, e quando alguém a liga, logo é repreendido por olhares espremidos de quem tenta se concentrar na conversa que rola em casa, na falação das crianças. E a telinha fica preta novamente.

Para mim, como disse, TV é distração, e, como tal, acredito que é essa a mensagem que ela nos passa: a de estar distante, alienado, absorto. Não privo as telas das crianças, pois sei que elas apenas querem copiar meus hábitos. Então que seja assim, um pouquinho, se tiver algo legal, ciente de que aquilo não vai acrescentar nada ao aprendizado delas, por mais que o programa seja para idade dos bebês, o DVD seja educativo e o app seja didático. Não caio nessa.

Para aprender, o bebê precisa tocar, cheirar, levar à boca, interagir, ver e ouvir.  A TV só oferece o estímulo visual e auditivo,  logo, a criança acaba por não desenvolver todo o seu potencial exploratório. Garanto que uma caixa de sapatos com alguns objetos, não necessariamente brinquedos, pode distrair a criança pelo mesmo tempo que a TV e vai aguçar muito mais a curiosidade dela. Afinal de contas, a caixa produz sons conforme ela a chacoalha, as coisas se mexem lá dentro, tem texturas, cheiros e gostos diferentes. Não é como a televisão: luzes e sons que não reagem às carinhas e aos movimentos do bebê, imagens chapadas e pobres em detalhes que hipnotizam mais pelo movimento frenético de quadros do que por conteúdo.

E enganam-se os pais que compram DVDs educativos, que levam nomes de grandes gênios, ou acreditando que o canal infantil é educativo. TV não educa; TV entretém. Assim como a função dos pais é educar, e da escola, ensinar. Mas parece que as pessoas querem ter filhos, mas não querem ter o trabalho de serem pais, e tercerizam tudo… E quem não tem babá, vai de TV!

A TV distrai, sim. E só. Distrair no sentido de desviar o foco, de perder a concentração.

Antes de apertar o play da próxima vez, pergunte-se se seu filho, ao menos, já viu uma galinha de perto.

 

Será q a TV promove esse jogo de ação e reação?

Leia também este texto em que Rosely Sayão fala sobre os problemas da TV na infância.

* Dados de uma pesquisa da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal sobre a percepção da sociedade brasileira a respeito da Primeira Infância.

Check Also

férias de verão: top frases de mãe

Top frases que toda mãe vai dizer nas férias de verão

É durante as férias de verão que surgem as primeiras evidências de que a gente …

6 comments

  1. Olá!

    Concordo com você, é difícil manter nossos filhos longe de todas estas tecnologias/facilidades e tentar proporcionar a eles um pouquinho da infância mais saudável que nós tivemos. Mas tentamos e isso é ótimo, pois tem pais que nem isso fazem! A tv aqui em casa tb só é ligada quando preciso que ela fique distraída mesmo, para eu fazer algo importante. E rápido!

    Beijo

  2. Mi, lendo seu texto lembrei que o Italo se divertia com uma caixinha de botões que eu chacoalhava para ele e depois, qdo estava maiorzinho com as páginas amarelas. Hoje em dia é muito difícil o controle, mas acredito que valha cada segundo do esforço.

  3. Texto perfeito! Virei sua fã. Abraços!

  4. Nas férias aqui em casa é viajar ou brincar com os filhos nada de televisão para substituir a diversão em família.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: