Momo: Entenda o que é mito e o que é verdade

Desde 2018 que a figura da Momo vem assustando não só as crianças, como famílias inteiras. A história toda começou com um número do Whatsapp que mandava desafios perigosos para números de crianças utilizando a imagem de uma mulher-pássaro, exposta numa galeria de arte japonesa focada em obras peculiares que abordam temas como o terror, espectros, violência.

Na última semana, notícias sobre um “novo ataque” da Momo circula pelas redes sociais, num efeito corrente, disseminando o pânico entre as famílias. A grande novidade é que a imagem assustadora estaria aparecendo no meio de vídeos que as crianças amam, como Peppa Pig, Baby Shark, dizendo que elas deveriam se cortar ou machucar seus pais, caso contrário algo de muito ruim pode acontecer com a família.

Num tom de alerta, as mensagens se apoiam em suposições que acabaram por viralizar e deixar as famílias em pânico. Mas vamos entender como tudo isso funciona e descobrir como, de fato, podemos proteger nossos filhos.

Momo: mito ou verdade?

Imagem: Between Mirrors

Um garoto no Paraná cortou os pulsos e tentou enforcar o pai.

Mito! Todas as notícias sobre o tema tratam a notícia subjetivamente. Em nenhum deles há datas, hospital para o qual o garoto foi levado e como o menino se encontra na atualidade. Se o caso fosse real, grande mídias já teriam o encontrado e trabalhado a notícia à exaustão, tamanho o potencial sensacionalista no caso.

Existem vídeos infantis na internet que são interrompidos pela imagem da Momo ensinando a criança a se machucar.

Mito! Todas as notícias a respeito revelam os supostos vídeos, mas nenhum link foi divulgado. Em conversa com a assessoria do YouTube, a informação que há é de que nenhuma denúncia foi feita até 18/03/19 sobre o caso. Ou seja, ou os vídeos não existem, ou os pais não estão denunciando o conteúdo.

“Ao contrário dos relatos apresentados, não recebemos nenhuma evidência recente de vídeos mostrando ou promovendo o desafio Momo no YouTube Kids. Conteúdo desse tipo violaria nossas políticas e seria removido imediatamente. Também oferecemos a todos os usuários formas de denunciar conteúdo, tanto no YouTube Kids como no YouTube. O uso da plataforma por menores de 13 anos deve sempre ser feito pelo YouTube Kids e com supervisão dos pais ou responsáveis. É possível que a figura chamada de “Momo” apareça em vídeos no YouTube, mas somente naqueles que ofereçam um contexto sobre o ocorrido e estejam de acordo com nossas políticas. Para mais detalhes, vale consultar a página sobre Segurança Infantil no YouTube” (Assessoria YouTube)

Muitas mães postaram relatos nas redes sociais.

Verdade! Eu mesma assisti e li relatos de mães dizendo que viram o tal vídeo. Mas nenhuma delas postou o link. Em casos como este, a melhor coisa é se disseminar o link com o alerta e pedir que os próprios adultos denunciem o conteúdo na própria plataforma de vídeos. Caso você veja um canal de criança, falando sobre o tema, denuncie também. Isso é assunto para adultos discutirem e depois repassarem para a criança da melhor maneira, num ambiente seguro e acolhedor.

Se não existe desafio da Momo, posso liberar o YouTube para meu filho.

Mito! O Youtube não é uma plataforma segura para crianças. Para isso, a marca lançou o YouTube Kids, com um filtro para conteúdos infantis, ainda que não totalmente seguro, mas com um maior controle. Plataformas mais fechadas, como Netflix, Amazon Prime e PlayKids, oferecem conteúdo de mais qualidade. Além disso, no próprio Youtube Kids, os pais podem selecionar vídeos e canais e exibir só a seleção para as crianças. Para isso é preciso se logar e configurar. Veja como evitar que seu filho assista a vídeos impróprios.

O Youtube possui vídeos impróprios para crianças.

Verdade! O Youtube não é um canal ou um streaming particular, como a Netflix. Qualquer pessoa pode subir um vídeo lá, com qualquer conteúdo. Inicialmente, os algoritmos fazem o bloqueio de vídeos, seguindo os padrões da empresa. Depois, a peneira é feita pelos próprios usuários, que precisam denunciar conteúdos impróprios para que sejam analisados. A idade mínima para uso integral da plataforma é de 18 anos.

O Youtube está bloqueando vídeos para crianças.

Mito e Verdade! Recentemente, a nova política de privacidade da empresa desabilitou comentários em vídeos em que aparecem crianças, como uma forma de protegê-los de ataques de ofensas ou cybercriminosos, como pedófilos. Há também uma ação no Ministério Público para que vídeos de Youtubers mirins sejam derrubados, uma vez que a plataforma só permite o envio de vídeos para usuários maiores de 18 anos. O foco é na questão da publicidade abusiva para menores, principalmente em vídeos de unboxing de brinquedos.

Leia a Política de Segurança e Privacidade do YouTube.

As famílias precisam conversar sobre conteúdo na internet.

VERDADE! Com letra maiúscula. Não é porque seu filho sabe quais botões apertar, que ele já sabe mexer. Crianças e até mesmo adolescentes não estão prontos para lidar com determinados conteúdos da internet. Se nós adultos já temos nossas ansiedades com o que vemos na web, imagine nossos filhos, que não têm ainda discernimento para entender a complexidade dos fatos? Alessandra Borelli, advogada e CEO da Nethics-Educação Digital e Opice Blum Academy , em texto para o Papo de Mãe, alerta que “É preciso estar junto, é preciso observar, é preciso dar asas, mas antes de soltar, ensinar a voar.”

Quando virmos uma notícia, precisamos espalhar o mais rápido possível.

Mito! Antes de sair espalhando alertas e urgências, é preciso verificar pequenos detalhes para não sair disseminando fake news. Uma boa dica é verificar se a notícia possui data, localidade e nome de algum envolvido. Geralmente notícias tendenciosas não mencionam esse tipo de informação, para não se comprometer. Então, antes de sair espalhando, dê um Google, e busque a versão de um grande veículo, como canais de TV, jornais impressos e portais.

Devemos deixar a Momo para lá, já que ela nem existe.

Mito! Hoje é a Momo, ontem foi a Baleia Azul. E amanhã terão outros. (Veja aqui como evitar que seu filho participe de desafios na internet.)Fale com seus filhos, de uma maneira simples, sem assustá-los. Reforcem como eles são inteligentes, e vão saber procurar você se encontrarem algo estranho. Fale também com os avós, tios, professores. Precisamos agir em conjunto para proteger nossos filhos e oferecer muita segurança. Tirar o eletrônico não vai proteger seu filho, pois ele vai ver o vídeo na casa de um amigo ou acessar escondido de você. O diálogo aberto e a educação é o que de fato estreitam laços e protegem nossos filhos de muitos males.

Leia mais: O lado bom da Momo, por Nerd Pai, e Um alerta para pais e educadores sobre a Momo, por Safernet.

Deixe uma resposta