Como fazer mercado com filhos sem estresse

mercado com crianças

Como é que se faz mercado com filhos sem perder a paciência e sem esquecer produtos?

Chegaram as férias!

Um misto de alegria de não ter que acordar cedo, levar e buscar, preparar lancheira, verificar agenda… e de desespero, pois você não sabe como vai dar conta de fazer tudo o que precisa fazer com os filhos em casa.

Primeiro, preciso relembrar que você não tem que dar conta de tudo! Um monte de gente fala para mim “nossa, como você dá conta de trabalhar, estudar, fazer atividade física, cuidar da casa, manter o blog, com 3 filhos?”. Sério, eu não sei o que a galera enxerga, pois eu só vejo as coisas por fazer, a lista de afazeres acumulando, mas vou tentando equilibrar os pratinhos. Talvez seja a persistência de não deixar nenhum pratinho cair que passe essa imagem. Mas no fundo, eu vou só priorizando algumas coisas no dia para ter a sensação de dever cumprido. Se você tentar abraçar o mundo, daí é decepção na certa.

Mas voltemos ao tema desse post: como é que a gente vai no mercado com filhos?

Eu me lembro de uma época em que isso para mim era impossível. Até que me vi na situação de ter que ir com três no mercado, sozinha, e só fui aperfeiçoando as técnicas. Sim! Se você não tem filhos ainda, saiba que ir ao mercado com filhos sem uma técnica é como fazer uma trilha na selva cheia de animais peçonhentos e poças de areia movediça.

Fazer compras com filhos é uma epopeia: você tem que desviar de um doce aqui, pular a gôndola de refri – mesmo precisando comprar a tônica pro seu gin -, passar correndo pelo departamento de bolachas e ir verificando cada item do carrinho ao passar no caixa para ter certeza de que não vai tomar nenhum susto pois uma criança colocou um creme antirrugas de 356,00 reais no carrinho porque achou o pote bonito.

Agora vou dividir com vocês o que aprendi nesses 5 anos fazendo compras com crianças. E vocês aproveitem para deixar as dicas de vocês nos comentários.

 

compras com crianças

Tenha uma lista

Não confie na sua cabeça. Chegando no mercado com crianças, você vai ter que lidar com muitos desafios, e sua memória vai falhar. Então anote o que precisa ser comprado – eu tenho uma lista pronta para você imprimir. Se seu filho já escreve, peça para ele lhe ajudar com a lista. Se só sabe as letras, faça sua lista e peça para que ele faça a dele colocando a inicial de cada item a ser comprado. Se você tiver paciência e tempo, faça uma lista com desenhos para ele se guiar. Mas jamais vá ao mercado sem ela. Certeza de que você vai ter que voltar para pegar o creme de leite – que era o motivo pelo qual você foi ao mercado.

Comece com poucas coisas

Fazer comprar com crianças é um exercício: se você sair com a carga máxima na primeira vez, vai se estrepar. Então, aproveite aquelas pequenas comprinhas para ir com as crianças ao supermercado, para eles irem aprendendo a se comportar naquele ambiente. Aos poucos, engrosse a lista e, quando menos você esperar, estará fazendo a compra do mês sem nenhum filho estar sentado no carrinho, com todo mundo ajudando.

Cuide da segurança dos pequenos

Criança no carrinho não dá para descuidar! Se é bebê, procure um carrinho com bebê conforto, e coloque o forro que os mercados dão no atendimento ao cliente ou leve um lençol de casa. Melhor ainda fazer compras com sling. Os maiorzinhos já podem ficar sentados na cadeirinha ou dentro do carrinho, mas qualquer piscada, eles tentam pegar coisas, e o carrinho pode virar. Para os que ficam no chão, os cuidados vão desde mexer em coisas perigosas, como vidros ou produtos de limpeza a criança se perder por entre as gôndolas. Um olho nas compras e outro nos filhos: SEMPRE!

mercado com crianças

Dê a eles uma tarefa

Desde pequenas as crianças já podem auxiliar, desde escolher os produtos que elas mais gostam, ensinar a escolher legumes e frutas, até os maiores que podem ler a lista e até comparar preços. O importante é a criança ter uma função, senão aquilo vira um parque de diversões. Como a gente, indo ao mercado só por ir, sem ter nada na mente na hora de comprar.

Ofereça uma recompensa

Há quem seja contra essa barganha, mas eu sempre valorizo o que as crianças fizeram de bom no mercado e deixo eles pegarem algo, como um biscoito, uma balinha um salgadinho. Afinal, a gente sempre leva algo para a gente também – quando dá! Mas o importante é combinar antes, para não criar expectativas que ganharão brinquedos ou um carrinho de guloseimas.

Estabeleça regras

Escolha 3 regras de ouro por compra, e siga-as à risca. Exemplo: Só pegar produtos que forem autorizados pelos adultos, ficar sempre perto dos responsáveis e seguir a lista. Não adiante você mandar 10 mandamentos do mercado, se seu filho não vai lembrar da metade deles e todo mundo vai se frustrar.

compras com crianças

Seja firme

Regra é regra. Se não pode levar chocolate hoje, não leve, não importa quão ator dramático seu filho seja, quanto piti ele dê, quanta birra ele faça, quanta vergonha ele faça você passar. O mesmo vale para não sair do carrinho e qualquer outra regra. Já aconteceu de eu avisar que se não colaborassem com as compras, eu iria embora. E fui! Voltei horas depois, com 3 anjos, que perderam suas recompensas, sem questionar. Nunca mais passei nervoso daquele tipo. Vale lembrar que ser firme não é ser chata. As crianças precisam se divertir também, senão vão fazer de tudo para sair daquela situação de marasmo. Por isso…

Brinque

Brinque de encontrar produtos com a letra tal, de encontrar a cor tal; brinque de ver quem acha o produto mais caro e o mais barato; desafie seus filhos a dizer o nome dos produtos; dá para criar uma porção de coisas num mercado, é só deixar suas criança interior brincar com seus filhos.

Finja demência

Seus filhos vão aprontar, é fato! Vão querer coisas e chorar, vão fazer graça e te deixar nervoso… Há dias e dias. Tem horas que vale mais fingir demência e seguir a compra – principalmente se a gente precisa das coisas do mercado. Vá rápido e ignore as tentativas de suborno e tentativas de chamarem a atenção. Pegue o básico e retorne outro dia.  

mercado com crianças

Não tenha pressa

Ensinar as crianças a fazer compras é um processo. Levá-las de cara naquela comprona monstra (e isso existe com os preços exorbitantes?) é um pedido de fracasso. As primeiras compras precisam ter a lista curta e bastante tempo, para explicar cada coisa. Depois eles pegam o jeito e você consegue ser mais ágil.

Vá mais vezes

Fazer compras com os filhos é um exercício de paciência. E, vocês sabem, a paciência é um músculo. Precisa de exercícios e muita repetição.

A compra não acaba no mercado

Peça a ajuda das crianças para guardar tudo. Isso cria um senso de responsabilidade neles e eles adoram se sentir úteis pela casa – pelo menos quando são pequenos. Aproveite para ensinar o quanto antes.

Assuma seus erros – e aprenda com eles

As compras com crianças não vão dar certo todas as vezes. Mas aproveite para rever seus erros, e pensar como você poderia melhorar. Desistir jamais!

Não se culpe se tudo falhar

E por último, quando for ao supermercado com seus filhos, não se culpe. Nem culpe as crianças. Estão todos num processo de sociabilização, e os erros fazem parte do processo. Não há culpados, apenas aprendizes.

No mais, pegue sua lista, sua sacola, seus filhos, o carrinho, e boas compras!

Deixe uma resposta