Era para ser uma crônica – O tempo e os filhos

sandclock

“Amanhã eu fui na casa da vovó.”

“Mamãe, ontem você me leva no parquinho?”

De banho tomado, pijama e pronto para dormir: “A gente já vai almoçar?”

Meu filhote já tem noção do tempo. Meio em formação, mas já é capaz de sequenciar fatos logicamente. Ainda falta aprender a utilizar os adjuntos adverbiais de maneira adequada e mecânica, sem que nenhum Bechara, Napoleão ou Pasquale tenha que se pronunciar.

Com três anos ele já sabe que a chupeta só pode ser usada quando escurece, que o sol desaparece quando a lua chega, que as manhãs e tardes são claras. Faz contagens regressivas riscando dias no calendário e espera ansioso por festas e dias especiais:

“Só falta mais um!”

Já tinham me alertado da velocidade com que esse senhor tão jovem – o tempo – passa na nossa vida e na dos nossos filhos. O difícil mesmo é encontrar uma lógica na incognoscibilidade das horas.

Três anos que passaram num piscar de olhos. Uma semana de caxumba que demora para sarar. A velocidade em que as crianças perdem roupas, e a morosidade na sala de espera do pediatra. A rapidez com que um tablete de chocolate derrete na boca e a morosidade do gosto amargo do remédio que não sai.

39 semanas que transitaram entre diferentes velocidades: um primeiro trimestre de sono e enjoo que foi bem vagaroso. Seguido de mais dois trimestres que deslancharam com uma brevidade aceitável.

Cinco dias que demorarão um século até o dia de meu rebento mais novo chegar ao mundo. O peso do relógio arrastando os ponteiros para a frente e puxando seus passos para trás. A eternidade que se insere entre o fim daquela pressão no abdômen e o início de um choro.

E a gente ainda acredita que relógios e fotografias podem aprisionar os períodos… Aprisionamos a contagem, as imagens, mas o momento, aquele período que não podemos enxergar, aquele só sentimos passar, esse a gente não segura.

Mestre tempo. Tão determinado, tão relativo.

Tão lógico e métrico, quanto incoerente e anacrônico.

Check Also

Mães de UTI: Unidas pela esperança

Minha gratidão às mães de UTI que compartilharam suas fraquezas, sua intimidade e nutriram minhas …

18 comments

  1. Arrepiei, sério.
    Realmente o tempo é muito louco e relativo, passa rápidão pra algumas coisas e pra outras se arrasta. E a gente nem percebe!

    • E ainda dizem que de tantos em tantos anos é preciso adiantar o relógio pq o tempo se acelera sozinho. Oi? É muita quântica pros meus neurônios…
      Jokas da Mi

  2. Nossa, Mi.
    Que texto porreta.
    Ó, estou na torcida. Que seu filhote chegue com muita, muita saúde.
    Que o nascimento dele ou dela seja pleno de luz.

    Beijo grande

    • Dani… por onde vc andava? Não te vejo mais nas minhas TLs!!!
      E agora eu é quem vou me ausentar um pouco da net, por razões plausíveis.
      Brigada pelos votos e jokas grandes da Mi

  3. Chorei! Lindo demais…
    Parabéns.
    E, eu sei que nosso contato é totalmente virtual, mas do fundo do meu coração, sinceramente, desejo que tenhas uma “hora” abençoada por Deus. Que tudo fique bem e que cada momento mágico seja acompanhado de felicidade e amor.

    Um grande beijo 😉

    • Muito obrigada!
      E quem disse que virtual não pode ser sincero?
      Essa palavra não cabe mais esse tipo de relacionamento. Vamos dizer q somos amigas a distância!!!
      Jokas de Mi

  4. De morrer de amor esse seu texto lindo!!! Tô contando os minutos aqui pra chegar segunda feira. E estou rezando muito para que a mamãe fique bem serena, que tudo saia como vc está imaginando e que A pequenA seja super hiper saudável e linda, como a mãe dela!

    Beijos
    Tati

  5. lindo texto!
    Tempo… num para pra ninguém, hein?! simplesmente vai…
    Bom parto pra ti.
    :*

  6. Adorei esse texto, muito bem escrito. Nunca li antes incognoscibilidade kkkkkk. Brincadeiras a parte, desejo que o tempo seja preciso, bem aproveitado e curtido em todos os momentos. Tudo isso faz parte de uma fase muito especial que deve ser vivida plenamente. Desde já te parabenizo pela chegada do mais novo, pela tua serenidade em controlar a expectativa de saber o sexo, estou curiosa e desejando tudo de bom viu?
    Beijos
    @nessadobeto

    • Nessa, confesso que qdo leio palavras diferentes em algum lugar e as acho bonita, logo dou um jeito de utilizá-la. Aprendi isso qdo era teacher de inglês: se vc quer ativar uma palavra em seu vocabulário, use-a em 3 momentos diferentes! Quero ver usar isso falando! kkkk
      E acredita q nem tô ansiosa p saber o sexo?
      Jokas da Mi

  7. Lindo demais!!! Seu texto é sensível, delicado, inspirador!
    Tudo de bom para vcs neste momento tão esperado!!!
    Beijos

  8. Feliz DIA DAS MÃES Mi.
    Beijinhos
    Patty

  9. O poderoso tempo!
    Muito lindo esse texto, nos permite refletir sobre os momentos em que deixamos ele passar despercebido…
    Ahh e adorei a frase do seu blog "Ainda se fazem mães como antigamente". Estava pensando nisso enquanto lavava a louça do almoço (momento de reflexão kkkk).

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: