E se eu não conseguir amamentar?

não conseguir amamentar

O aleitamento materno é fundamental, mas conseguir amamentar nem sempre é uma escolha.

Que os primeiros 1000 dias de vida de uma criança são essenciais para a construção de melhores hábitos alimentares, de uma boa imunidade, de um bom cognitivo e desenvolvimento emocional, nós já sabemos! Que o leite materno – exclusivo até os 6 meses e que deve se prolongar até os 2 anos de idade ou mais – é o alimento primordial para que todo esse processo aconteça também.

O leite materno é um dos alimentos que ainda guarda uma caixinha de surpresas para a humanidade. A ciência já reconhece o seu equilíbrio nutricional, suas substâncias protetoras a processos alérgicos e distúrbios gastrointestinais, seu baixo teor de proteínas levando a um menor índice de obesidade. Também, seus elementos prebióticos e probióticos ajudam a formar nossa imunidade. E, recentemente, comprovou-se o impacto no desenvolvimento da inteligência. E há muito que se descobrir! Há substâncias ainda não reconhecidas na composição do leite materno.

Além da nutrição, amamentar é acolher, é trocar, é amar… E é um aprendizado contínuo. E quem ama, deseja muito amamentar!

Mas e se eu não conseguir amamentar? Vou amar menos os meus filhos? Serei uma mãe ruim?

Leia: Verdades que precisamos saber sobre nos sentir uma péssima mãe

Acompanhamos vários posts de mães que não conseguiram amamentar por alguma razão e percebemos que ainda há um desamparo, uma falta de informação misturada com frustração. A Pediatria e a Nutrição têm que estar preparadas para amparar todos os tipos de situação. Nós, profissionais da área da saúde, devemos ser promotores e protetores do aleitamento materno SEMPRE, ensinando, motivando e replicando a prática. Mas, nos casos em que há uma impossibilidade do aleitamento materno, não há culpa, mas uma oportunidade de orientação da melhor escolha. Nossa vida é feita de escolhas e amar, na nossa opinião, é fazer as melhores escolhas dentro das possibilidades que temos.

Se a mãe não conseguir amamentar, é preciso que ela a se alie ao pediatra e juntos escolham uma fórmula infantil, o substituto equilibrado e mais próximo ao leite materno. É igual? Não, mas a tecnologia implementada faz com que a fórmula infantil se aproxime do leite materno, no sentido do equilíbrio nutricional, quantidade proteica, micronutrientes, prebióticos, substâncias protetoras e funcionamento gastrointestinal.

Nossa vida é feita de escolhas, e amar é fazer as melhores escolhas dentro das possibilidades que temos.

Há vários tipos de fórmulas com diferenciais de mercado, e a indicação fica a cargo das características de cada bebê. As fórmulas infantis devem ser utilizadas até dois anos de vida. Oferecer ao bebê leite de vaca antes de um ano de idade, nem pensar! Não se esqueça de que os compostos lácteos são leite de vaca também!

Aquele lema que “quando nasce uma criança, nasce uma mãe culpada” não existe para nós. Acreditamos que “quando nasce uma criança, nasce uma mãe empenhada”. Muito empenhada em fazer tudo dar certo, muito empenhada em fazer boas e melhores escolha. Muito empenhada em amar!

Dra. Renata Rodrigues Aniceto

Conheça a Pueri Nutri – Consultoria e Assessoria em Nutrição Infantil

Check Also

receita de nuggets caseiro: saudável e rende muito!

Receita de nuggets caseiro: em casa é mais gostoso!

Com essa receita de nuggets feito em casa você vai ver a economia e perceber …

Deixe uma resposta