O deleite como lembrança da amamentação

ballerina

Amamentar é mais que alimentar, mais que afeto. É construção de vínculo e de deliciosas lembranças.

momentos que são tão belos, que, se pudessem ser guardados, já estariam naquela caixinha de boas memórias, num relicário, num porta-joias.

Como o nascimento de um filho, a hora do “pode beijar a noiva”, as primeiras vezes de tantas coisas, pores do sol, abraços de partida.

Nesse meu relicário, sem sombra de dúvida, guardaria a amamentação.

Não exatamente o amamentar em si. O amamentar como alimento, como ato de amor é lugar-comum. Falar aqui de como engrandesce a mulher poder ser uma exclusiva fonte de energia para uma vidinha é chavão. Aquela troca de toques, de cheiros, de olhares, a simbiose é trivial, ainda que não seja banal.

Falo daquele momento em que aninhamos a cria, como se colocássemos-na de volta ao ventre, protegida e restrita aos estímulos daquela hora. Ela abocanha o seio, dá as primeiras sugadinhas.

Daí a mãe sente a descida do leite. E a boca do bebê se enche que quase dá para engasgar.

E é essa fração de tempo que gostaria de materializar e aprisionar: os olhos da criança quase se fecham de satisfação enquanto ela mama, o leite escorre pelo cantinho da boca, a harmonia do respirar e do engolir.

Freud diria que é um prazer inconscientemente sexual de ambas as partes. 

Eu fico mais com a magia do momento, daquilo que se chama deleitar – no mais literal dos sentidos. Deleite, do latim delecto, fala sobre a satisfação plena, o regozijo. Não deriva, nem dá origem a palavra leite. Mas poderia muito bem fazer essas vezes de tão bonito que é.

Mas, agora que a fase da amamentação foi concluída, e que não posso trazer um instante ao plano da matéria, que ele fique aqui registrado, para que refresque minha memória, e eu me deleite com essas reminiscências maternais.

Check Also

Não consegui amamentar

E se eu não conseguir amamentar?

O aleitamento materno é fundamental, mas conseguir amamentar nem sempre é uma escolha. Que os primeiros …

11 comments

  1. Haaaa q lindooo Mi!!!
    EU AMEI e que amamentar mais um se Deus quiser, uma delicia tudo isso, uma delicia esse momento, ‘e pleno….e so nos sabemos o sabor pq ‘e indescritível!

  2. Heloísa Noronha

    Adorei, estou até com os olhos cheios d’água. Amamentar é algo inesquecível e insuperável. Nunca vou esquecer. Sofri pra caramba quando a Duda não quis mais – foi bem na época em que a matriculei na Ludi Domus, com 7 meses, e eu tive de voltar a trabalhar. Tenho vontade de chutar toda lata de Nan que encontro pela frente! Se pudesse, amamentaria até hoje.

    • A verdade, Heloísa, é q sofremos mais com o desmame do que eles. Sofremos mais com a perda da barriga, do que eles com a perda de proteção full-time.
      E eu tô tentando não abrir nenhuma lata de Nan.
      \o/
      Jokas da Mi

  3. Nhoimmm realmente é um momento único!
    Daqueles q só quem é mãe e amamentou pode entender!!
    Amei Mi!!

    Bjo!

    Loreta 😉
    @bagagemdemae

  4. Mi, eu queroo mais um daqui 3 anos, tipo penso em engravidar de novo em 2015….se Deus quiser!!! resolvi esperar as crianças crescerem mais!!!!
    Vamos ver neh:!rsrrsrsr
    bjus

  5. Ameiiii!!!!
    Conseguiu traduzir em palavras aquilo que eu só sentia.
    Bjos

  6. Leticia M. Almeida

    Nossa, seus post’s são demais.
    Ainda não sou mãe, porém, já vi que é uma experiencia maravilhosa e que não dá para descrever.
    Adorei seu blog, tenha certeza que irei voltar mais vezes!

    Beijos da Lê 😀

  7. Depois de estar chocada com o péssimo texto da Mariana/Margarida, é muitoooo bom ler algo de extremo bom gosto!! Obrigada por nos dar ese presente!!

Deixe uma resposta