17 dicas que vão tornar a amamentação mais fácil

Amamentação dicas segredos mais fácil

Com essas dicas amamentar vai ficar mais tranquilo

A gente sabe que amamentar não é tão simples. Não é só colocar o bebê, que ele mama. Tem o lance da pega correta, da facilidade da mãe, da rede de apoio que precisa existir para a amamentação fluir tranquilamente. E também sabemos dos percalços que rolam até o desmame. Eu mesma já falei aqui dos micos que a gente paga nessa fase, já mostrei dados sobre a importância da amamentação, já contei minhas experiências e até uma pediatra já falou sobre não conseguir amamentar. Hoje, depois de ter dado de mamar a três filhos, posso compartilhar melhor “o segredo do meu sucesso” (leia com a voz do Lombardi). São dicas, algumas até manjadas, mas que valem à pena serem lembradas para garantir que a amamentação seja só lembrança de prazer e afeto.

Informe-se: Depois do parto, você estará exausta demais para aprender algo novo. A amamentação fica mais fácil se você tiver informada e inteirada do assunto, seja num curso, com livros, blogs, seja com uma amiga mais experiente.

Quanto antes melhor: Assim que o bebê nasce, seus sentidos ficam mais apurados na primeira hora de vida, facilitando o aprendizado da amamentação. Se o bebê for amamentado assim que ele nascer, as chance de sucesso nessa empreitada são maiores, e os laços afetivos se estruturam mais rapidamente. Fale com seu obstetra sobre este seu desejo para que ele informe a equipe na hora do parto.

Pele a pele: O ato de amamentar envolve todos os sentidos da mãe e do bebê. Experimente ficar sem a blusa e deixar o bebê peladinho para mamar, pode até jogar uma mantinha sobre vocês, mas deixe a amamentação rolar pele com pele. Facilita tanto para o bebê quanto ajuda na produção de leite da mãe.

Entenda os sinais: Quando o bebê começar a mover a cabeça de um lado para o outro ou enfiar as mãozinhas na boca, está dando sinais de que está com fome ou quer o aconchego do peito da mãe. Nem sempre deixar a criança chorar para dar de mamar é uma boa opção, pois alguns bebês ficam nervosos e não conseguem pegar o peito. Observe, e aos poucos você entenderá o que seu bebê está tentando lhe comunicar.

Acorde: Bebês recém-nascidos ficam muito sonolentos ao mamar. procure trocar a fralda antes de amamentar (às vezes temos que trocar antes e depois…), acorde o bebê com delicadas coceguinhas próximo às costelas, tire as meias, e vale até deixar o bebê só de fralda até ele despertar e mamar por pelo menos 15 minutos. Eu cheguei a molhar os pés da minha filha de tanto sono que ela tinha, mas depois que pegava o peito, eu a cobria. Daí trocava de novo e colocava para arrotar e às vezes dava mais um pouquinho de peito para ela adormecer.

Peito muito cheio: Nos primeiros dias, você vai sentir que de repente seu peito encheu, está firme, duro e até quente. Não se espante, não está empedrado, é apenas a apojadura, o leite que desceu. E tentar amamentar com o peito muito cheio é uma tarefa dolorosa. Tente esvaziar um pouco com uma bomba, com a ordenha manual, ou apenas massageie delicadamente enquanto o bebê mama.

Tente: Tente diferentes técnicas para amamentar, mude a posição, o lugar. Aos poucos você vai descobrir o que é que funciona para vocês. Lembre-se também de nunca puxar o bico da boca do bebê para mudar de posição, pois você pode se machucar. Enfie seu dedo mindinho no cantinho da boca do bebê e tire a pressão que se forma entre a língua do bebê e seu mamilo. Só aí, mude a posição do bebê.

Ajuda profissional: Se você estiver sentindo muita dor, os bicos estiverem machucados, com sangue, é sinal de que a pega não está correta. No começo os bicos doem um pouco por causa do atrito, mas uma pomada de lanolina vai ajudar. E também nas primeiras sugadas do bebê, dói mais, mas conforme ele suga o leite, a dor vai cessando. Se a dor persistir e houver machucados, fale com seu médico, com o pediatra ou procure o banco de leite da sua cidade. Um profissional pode ajudar na pega correta e ajudar bastante no processo de amamentação.

De olho nas fraldas: Um bebê que mama suficiente, deve sujar no mínimo 6 fraldas durante o dia. Menos que isso é ideal procurar a ajuda de um profissional. Pode ser que a pega seja incorreta, ou que não haja produção suficiente. Com ajuda, os problemas podem ser contornados e a amamentação segue numa boa.

Descanse: Sei que isso soa piada, mas procure descansar sempre que conseguir. A mãe exausta não produz leite. Por isso digo que a amamentação precisa contar com uma rede de apoio: alguém que fique com o bebê por uma ou duas horas durante o dia para a mãe cochilar, uma companhia nas madrugadas quando o bebê acordar, alguém que ajude nos serviços de casa para a mãe não ter que usar as horas em que o bebê dorme para fazer isso.

Esteja pronta para produzir leite: Além de descanso e um ambiente tranquilo, a mamãe precisa tomar cerca de 3 litros de água por dia e se alimentar muito bem. Sei que é difícil comer, porque toda vez que sentamos à mesa, o bebê acorda. Mas aproveite o momento após as mamadas para comer algo saudável. E durante as mamadas tenha sempre uma garrafa com água por perto.

Observe: Peitos machucados, doloridos, dor local, febre, qualquer sintoma estranho deve ser levado em consideração. Até um simples resfriado pode influenciar na amamentação. Se suspeitar que algo vai mal, consulte um médico.

Planeje: Se você trabalha, converse com no seu trabalho sobre suas intenções de continuar amamentando. Veja se o local de trabalho oferece uma sala para que você tire o leite e/ou consiga fazer um horário diferente para poder amamentar o bebê. E isso lhe é garantido por lei.

Tenha uma bomba: A bomba tira-leite pode te ajudar não só a tirar leite para o bebê se alimentar enquanto você estiver fora, mas também para estimular. Após as mamadas, use a bomba para tirar todo o leite do peito e garantir a produção. O leite retirado pode ser doado (consulte o banco de leite da sua cidade, e veja que meio potinho numa semana já ajuda alguns bebês, inclusive o seu).

Facilite: Tenha um local para amamentar, confortável, com uma almofada de apoio, água, ventilação. Há quem goste de amamentar vendo TV ou no celular, há quem ache que qualquer distração atrapalhe. Só tentando você vai saber o que é melhor para vocês dois. E quando sair de casa, leve uma garrafinha, uma toalhinha (se achar necessário – embora eu seja adepta do mamar sem esconder).

Ensine: Se você tiver alguém que te ajude, ensine o que e como você faz, desde esterilizar os objetos do bebê a cuidar da sua casa e da comida. Quanto mais você se dedicar ao bebê, mais sucesso no vínculo terão. E esse ensinar inclui o pai: deixe-o entrar na relação. Muitas vezes as mães fazem um vínculo tão forte, que nem mesmo o pai consegue um espaço para entrar. Deixe-o ajudar com o banho, a troca de fraldas, o arrotar. Será bom para seu descanso e para a criação de vínculo familiar.

Faça as contas: Nos primeiros meses, procure anotar quanto e por quanto tempo o bebê mamou, quanto tempo ficou acordado, quantas fraldas trocou. Ter uma estatística sobre o comportamento do bebê vai te ajudar a entender a nova rotina e ver como vocês podem se ajustar.

Assine a newsletter e seja o primeiro a saber quando um post estiver no ar.

Assine diiirce

Quero receber um aviso de diiirce no meu e-mail

Check Also

Nada é tão fundamental como amamentar

Pesquisa mostra como amamentar é visto pelas mães Toda mãe sabe como amamentar é superimportante para …

Deixe uma resposta