Aliciamento de menores

 

childtv

O assunto hoje é publicidade infantil.

Tem gente que discorda, que esse tipo de propaganda deveria ser sumariamente abolida e substituída por algo voltado aos pais. Menos extremistas já alegam que um acordo ou regulamentação sustentada pela ética já basta.

O caso mais antigo de abuso nesta modalidade que me recordo foi esse aqui:

Você se lembra disso?

Na minha opinião, banir a publicidade infantil não vai ajudar muito a diminuir o consumismo das crianças. Acho que não é a TV que infuencia, mas a educação que se recebe.

Se a criança ganha algo que ela viu na TV, fica o reforço positivo gravado em sua mente. Culpa da TV? Não. A TV não deu o produto a ela.

Se abolirmos a publicidade infantil, campanhas como esta a seguir jamais teriam sido criadas e premiadas.

Tomou?

 

Por que propaganda fofinha de produto essencial como leite pode, mas propaganda de fast-food com personagem da moda não vale?

É para se pensar!

Concordo que as crianças não conseguem diferenciar o desenho da propaganda. Para elas é tudo uma coisa só. Mas não acredito que banir a publicidade infantil seja a melhor saída, ainda que considere impossível explicar a uma criança de 3 anos porque não se pode ter tudo o que é anunciado na TV.

Na dúvida, continuo com a opinião de sempre: Educação é o que se aprende em casa.

Pois se a bala, o biscoito, o brinquedo entraram em casa, não foi porque a publicidade realizou um teletransporte – foi porque um adulto responsável, capaz de discernir entre o normal e o abusivo, fez uma escolha.

8 comments

  1. É um manifesto?
    Onde assino?

  2. Mi:
    Ainda não decidi se sou contra ou a favor da publicidade infantil… aqui em casa, há um limite não só para a quantidade de brinquedos que se ganha (e se pede), mas também para há limite para o tempo na frente da TV e para os canais…
    Seu post me fez pensar em outra questão: até que ponto estas propagandas não influenciam os adultos (e não, exatamente, as crianças)? Porque, geralmente, criança que cai no conto da publicidade tem pais que acreditam em tudo o que passa na TV. Ou não? Será?
    Beijão

    • Sofia
      Eu não tinha uma opinião formada até ver o 1º seminário sobre Publicidade Infantil. Os caras estudam a psiquê dos nossos filhos para vender produtos q eles nem precisam, nem tem poder de compra. É complicado, é controverso.
      Jokas da Mi

  3. Adorei o post. Esse assunto já rendeu dois posts lá no blog que consideramos muito legais tb. Um foi a Mônica que escreveu e outro o meu marido que retrucou.
    Se tiver um tempinho e quiser ler, o post da Mônica está aqui com o comentário do meu marido. http://www.comerparacrescer.com/2011/10/o-mcdonald%C2%B4s-esta-mais-saudavel-ou-nao-culpe-o-fast-food-va-educar-seu-filho/

    bjs

  4. Concordo em gênero, número e grau! Lá em casa é a política que pretendo adotar: a da educação!!! Acho muito mais fácil afastar o filho da propaganda, não deixar ver tv, etc e tal. O difícil é conversar e mostrar que às vezes ele vai ter o que deseja, em outras não.
    Aproveito para te convidar à blogagem coletiva de incentivo à doação de leite materno. Vou te mandar uma mensagem no facebook contando mais, ok?
    Bjs

    • Nívea, tb acho q abster a criança das coisas não vai fazê-la um adulto melhor. Mais dia menos dia, ela vai te questionar. Por isso acho q o equilíbrio e a educação para um senso crítico são as melhores saídas.
      E o convite foi aceito, e dei o exemplo voltando a ser doadora, mesmo q de umaquantidade pequena.
      Jokas da Mi

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: